BLOG Saiba das ultimas novidades da nossa empresa.
Envenenamento de animais é mais comum do que se imagina 13/06/2016 - 16:54:06

Intoxicação é algo que ocorre com muita freqüência em animais domésticos. Cães e gatos são os que mais sofrem com produtos como veneno para ratos, por exemplo. O famoso “chumbinho”, raticida clandestino, cuja venda é proibida, provoca efeitos após 5 minutos de ingestão e em grande parte dos casos é fatal.

 

“Atendemos em média dois a três casos por semana, devido à intoxicação com veneno de rato”, destaca a veterinária Laura Granato, da Clínica Amigo Bicho.

 

Por mais que o dono possa ficar aflito só de pensar no caso, é preciso estar atento e identificar os sintomas, pois no caso do chumbinho, ocorrem tremores musculares, salivação excessiva, vômito e diarréia, já com outros venenos que contém outras substâncias, o animal pode desenvolver hemorragias espontâneas e manchas arroxeadas.

 

Segundo Laura, levar o bichinho imediatamente ao veterinário, por conta da quantidade ingerida ou o tempo do ocorrido, pode ser crucial para a preservação da vida. “Já recebemos uma gatinha vítima de envenenamento de madrugada, com intensa salivação, tremores e problemas respiratórios, cuja atitude do dono de nos trazê-la assim que percebeu alterações no comportamento foi fundamental”, explica.

 

Deixar o tratamento apenas nas mãos do profissional com as dosagens de antídotos, remédios e soro também é importante. ”Não é recomendado fornecer ao cão ou gato, gema de ovo, água, leite ou água oxigenada, pois muitos animais morrem por asfixia, sendo que o proprietário geralmente força a ingestão destas substâncias em casa”, ressalta.

 

Como as causas do envenenamento podem ser intencionais por parte de estranhos e involuntárias por parte do bichinho, evitar o acesso do cão ou gato  à rua sem o dono é a atitude mais acertada e quando em passeio com o proprietário, não deixá-los ingerir qualquer coisa do chão. Também é necessário que o animal não tenha contato com ratos, pois pode haver intoxicação, caso o bicho coma o roedor que consumiu o veneno.

 

“Na verdade, não se deve nem colocar veneno contra ratos em casa, se houver proliferação na residência, deve-se entrar em contato com a Vigilância Sanitária porque muitos dos casos que atendemos foi o proprietário que colocou o veneno em casa e não acreditou que o animal pudesse comer, mas isso sempre acontece”, alerta Laura.

 

Laura Granato é uma das veterinárias da Clínica Amigo Bicho que fica na Rua Montecaseros, 414. Telefone: (24) 2243-2477.

VOLTAR